Três de quatro beneficiários possuem plano de saúde coletivo

By | março 24, 2015

plano de saúde coletivo

Com o passar dos anos, o benefício do plano de saúde tem se tornado tão importante quanto os mais tradicionais como Vale Transporte e Vale Alimentação para funcionários de pequenas, médias e grandes empresas. Em função disso, empresários têm colocado a contratação desse tipo de serviço como uma das prioridades, pois além de ser benéfico para os empregados, gera aumento na produtividade e tem influência direta nos resultados mensais. A modalidade de plano de saúde coletivo, além de tudo, traz vários benefícios para o contratante, e todos esses pontos positivos têm relação com o fato de que no Brasil, três de quatro beneficiários possuem esse tipo de plano.

Entre os mais de 38 milhões de brasileiros que se beneficiam de serviços de assistência médica, cerca de 78% são contratantes ou dependentes de plano de saúde coletivo. Isso reflete também a situação de algumas empresas, que buscam a especialização em produtos para empresas, e os individuais são quase que deixados de lado, sendo que algumas deixam até mesmo de oferecê-los. Uma prova disso é que hoje, das 31 operadoras apenas 11 oferecem planos individuais. A mudança, que pode ser considerada recente (em 2001 o número de beneficiários que contavam com plano de saúde coletivo não chegava a 44% do total), está de alguma forma ligada com o aumento do número de empregos formais, onde os funcionários passaram a reivindicar esse tipo de benefício.

Vantagens de um plano de saúde coletivo

A modalidade coletiva pode ser separada entre empresarial, quando obviamente é voltado para empresas e por adesão, onde o contratante deve ser contratado por uma pessoa jurídica, se essa for ligada a uma entidade profissional, classista ou setorial (entidades de classe, sindicatos, cooperativas de categorias ou profissões, etc.). É importante definir essa diferença, pois os benefícios são diferente entre os dois tipos, principalmente quanto ao cumprimento de carências. Isso por que, para os empresariais, para contratações com 50 ou mais participantes não é permitida a exigência do cumprimento de nenhum tipo de carência, já para os por adesão, independente do número de beneficiários, nenhuma carência deve ser cumprida para aquele que aderir ao plano em até 30 dias depois da contratação.

Deixe uma resposta