Cuidados com doenças vasculares diminui o risco de Alzheimer

By | junho 18, 2015

alzheimerMuitos cuidados preventivos podem lhe auxiliar no tratamento ou evitar adquirir algumas doenças. Hábitos e praticas saudáveis cultivadas no dia-a-dia também ajudam na prevenção de doenças, bem como no bem-estar da pessoa. Uma doença muito comum, que pode ser prevenida e pode evitar outras doenças, são as doenças vasculares, por exemplo, os cuidados com doenças vasculares diminui o risco de Alzheimer, bem como outros problemas de saúde.

Em pesquisas realizadas recentemente, cientistas internacionais descobriram que cuidados com problemas vasculares podem amenizar a evolução e o desenvolvimento do Alzheimer, a tese desses cientistas defende que a doença vascular afeta fluxo sanguíneo cerebral, um dos contribuintes para o desenvolvimento do Alzheimer.

O mal Alzheimer é uma doença que ataca principalmente os idosos, suas causas ainda não foram descoberta, no entanto alguns fatores são apontados como contribuinte para o desenvolvimento da doença, cujo individuo perde sua capacidade de raciocínio. 40% das pessoas acima de 85 anos são afetadas com Alzheimer, a maioria são mulheres.

Além das doenças vasculares, o tabagismo, sedentarismo, hipertensão arterial, colesterol elevado, diabetes e depressão após o s 50 anos são outros fatores que contribuem para o desenvolvimento do Alzheimer, em contrapartida, médicos afirmam que um grau de escolaridade, trabalhos estimulantes, tocar instrumentos musicais e interação frequente com a sociedade pode reduzir o risco do Alzheimer, pois com essas atividades o cérebro sempre é estimulado.

Ressaltamos que nem todo esquecimento pode ser diagnosticado como Alzheimer, o esquecimento de demência é diferente do esquecimento do dia-a-dia, por exemplo, uma pessoa pode esquecer de uma reunião, no entanto posteriormente se lembra que foi marcada, já uma pessoa que tenha mal de Alzheimer não se lembrará da reunião, nem mesmo que foi marcada algum dia.

Sabe-se, que uma vez estabelecido o diagnostico do mal de Alzheimer, a expectativa de vida do paciente costuma ser ao redor de três a oito anos. O Alzheimer é uma doença que não tem cura, uma vez diagnosticado, a pessoa e seus familiares devem se adaptar a doença.

Deixe uma resposta