Empresarial: planos de saúde para funcionários

By | fevereiro 4, 2015

planos de saúde para funcionários

A função de um bom administrador empresarial é entender as necessidades de seus empregados. O bem estar e a felicidade de uma pessoa está diretamente ligada à sua produtividade no trabalho. Pesquisas apontam que entre os benefícios cedidos por empresas, a assistência médica é o mais valorizado pelo trabalhador, fazendo com que a busca por planos de saúde para funcionários seja cada vez maior.

Abatimento de impostos

É comum que um empreendedor, seja de uma empresa de pequeno, médio ou grande porte,espere que qualquer gasto traga algum tipo de retorno, e a contratação de planos de saúde para funcionários, além de poderem proporcionar otimização de resultados, pode também deduzir de seus gastos com esta assistência no imposto de renda, declarando-a como uma despesa operacional.

Carência em planos de saúde para funcionários

Essa é uma dúvida frequente, e segundo a normatização da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), tudo depende do número de beneficiários. Se ele for maior que 30, os funcionários que aderirem ao plano até 30 dias depois da assinatura do contrato não têm a necessidade de cumprimento de carência nem cobertura parcial temporária (CPT), caso contrato, os prazos devem ser negociados com a operadora dentro dos limites também definidos pela ANS.

Como fazer a escolha de plano?

Existem várias possibilidades de planos de saúde para funcionários, e a escolha pode ser definida por vários critérios, dependendo muito da intenção do empresário. Como é um benefício para os empregados, uma opção interessante é fazer uma pesquisa interna, com os benefícios que mais os interessam, e definir a alternativa junto a uma operadora que caiba melhor no orçamento e deixe todos satisfeitos.

O reajuste da prestação

A empresa que oferece esse tipo de benefício deve se programar para reajustes na mensalidade de planos de saúde para funcionário nos seguintes casos: mudança de faixa etária; conforme critérios definidos pela ANS; e após a completação de um ano do plano, pelo índice de variação de custos, que é negociável entre a companhia e a operadora. Qualquer tipo de reajuste não previsto pelas normas da ANS é proibido, e o empreendedor deve ficar atento a isso.

 

Deixe uma resposta