Planos de saúde – O que é preciso saber?

By | fevereiro 2, 2015

 

Com tantas operadoras de planos de saúde no mercado, fica difícil decidir qual contratar. As dúvidas sobre esse serviço são comuns entre os consumidores, e são vários os detalhes que devem ser analisados antes de decidir qual empresa escolher. A primeira coisa a se fazer é verificar a confiabilidade do plano.

Verifique entre os planos de saúde cadastrados na ANS

planos de saúde

Ao realizar contato com qualquer empresa que ofereça planos de saúde, é possível requirir o número de registro, tanto da própria operadora, quanto dos planos que ela oferece na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Com isso, é possível fazer uma análise completa da avaliação do serviço e posição no ranking de reclamações de usuários. Da mesma maneira,  o beneficiário pode fazer reclamações junto à ANS quando há alguma quebra contratual. No site da agência, você pode também tirar outras dúvidas sobre, por exemplo, a cobertura mínima obrigatória a ser oferecida por qualquer operadora de planos de saúde.

Se informe sobre questões contratuais e área de cobertura

Para que promessas sejam cumpridas, fique atento. Leia o contrato, cláusula por cláusula, para saber se é realmente o serviço que procurava e para poder saber qual o compromisso da operadora com você. Solicite sempre uma cópia do documento para que sejam evitados incômodos futuros.

Planos de saúde podem ter coberturas nacionais ou regionais, e é importante para o consumidor que escolha qual é o mais viável. Logicamente, serviços com abrangência nacional são mais caros, e se o beneficiário não costuma viajar muito, pode ser mais interessante escolher o plano mais “limitado” em relação ao território atendido. O que muitas pessoas não sabem é que, caso uma necessidade do consumidor não seja atendida pela operadora, mesmo que em um plano que tenha apenas abrangência regional, ela deve arcar com todas as despesas, inclusive de transporte, para o atendimento em outra cidade ou estado.

 Todos os planos de saúde têm reajustes

Existem no máximo três tipos de reajuste para planos de saúde. No caso dos familiares/individuais, podem ser feitos anualmente, conforme definição da ANS ou por faixa etária, que tem sua primeira alteração aos 19 anos e depois disso, de cinco em cinco anos. O último reajuste é feito aos 59 anos. Já os planos coletivos têm um terceiro tipo: por sinistralidade, onde é levada em conta a frequência de uso dos serviços oferecidos.

Deixe uma resposta