Planos de saúde terão que ressarcir o SUS por gastos com segurados

By | junho 24, 2015

ressarcimento susAlguns procedimentos dos usuários de planos de saúde são realizados pelo Sistema Único de Saúde – SUS, boa parte desses procedimentos são exames e terapias de alta complexidade, como hemodiálise e quimioterapia. A realização desses procedimentos necessita de uma Autorização de Procedimento Ambulatorial – APAC e os planos de saúde terão que ressarcir o SUS por gastos com segurados.

Essa cobrança que está sendo feita é referente a tratamentos e terapias realizados no primeiro trimestre de 2014. O cálculo do pagamento será feito com base nas informações da APAC.

A partir de agora, passa a vigorar a cobrança dos valores gastos com procedimentos de médio e alto custo realizados pelo SUS em usuários de planos de saúde como quimioterapia, radioterapia, hemodiálise, cateterismo cardíaco, cirurgia de catarata passam a ser objeto de ressarcimento. A notificação de cobrança entre o SUS e a Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS será feita exclusivamente por meio eletrônico, o que torna o procedimento mais ágil e econômico, facilitando para as duas partes.

Sempre que um usurário de algum plano de saúde for atendido pelo SUS será feito um ressarcimento, o pagamento realizado para a ANS será repassado ao fundo nacional de saúde. A ANS irá identificar os pacientes atendidos e a partir dessa identificação fará a notificação dos pacientes que possuem planos de saúde e os valores dos tratamentos serão ressarcidos.

Com essa normativa os valores pagos nas mensalidades dos planos de saúde não serão alterados, pois todos esses procedimentos que são realizados pelo SUS estão inseridos em seus contratos.

De acordo com dados nacionais do primeiro trimestre de 2014, as internações correspondem a 40% do total de procedimentos que geram ressarcimento e as APACs 60%. Em termos financeiros, isso significa uma estimativa de cobrança de R$ 173 milhões pelos exames e terapias de alta e média complexidade cobradas por APAC e R$ 181 milhões em autorizações de internações.

 

Deixe uma resposta