Prazos de carências máximos permitidos por lei

By | março 26, 2015

Prazos de carências máximos permitidos por leiQuando procuramos um plano de saúde, buscamos um meio de estar protegidos caso ocorra algum incidente ou diagnóstico de doenças, no entanto temos que ficar atentos aos prazos de carências máximos permitidos por lei.  Cada caso tem um período de carência para passar a ser utilizado a partir do pagamento da primeira mensalidade no fechamento do contrato.

A carência, nada mais é que o período previsto no contrato para poder usufruir dos benefícios do plano de saúde e das coberturas previstas. Esse período deve estar no contrato e tem um prazo máximo permitido por lei.

De acordo com a ANS – Agência Nacional de saúde Suplementar, os prazos máximos são:

Casos de Urgência e Emergência 24 horas
Partos 300 dias
Cobertura de doenças ou lesões preexistentes 24 meses
Demais Casos (consultas, exames, internação e outros) 180 dias

Entretanto há alguns fatores que devemos ressaltar, como por exemplo, em caso de cobertura de doenças ou lesões preexistentes, o segurado terá cobertura parcial temporária no período de carência, podendo escolher pagar um valor adicional para se beneficiar do plano.

No caso dos recém-nascidos, se o plano incluir cobertura obstétrica, a criança poderá utilizar os serviços do plano de saúde. A mesma lei é válida para filho adotivo recém-nascido. Filhos adotivos menores de 12 anos têm seguro sua inscrição como dependente de acordo com a situação de carência do titular.

Há também casos em que a empresa responsável pelo plano de saúde não pode cobrar carência, como é o caso dos planos empresariais e coletivos, com 30 pessoas ou mais, a adesão aos benefícios do plano é imediata.

Deixe um comentário